Multiangular

Em terra de fake news, todo cuidado é pouco. E mesmo que você confirme por meio de diversas fontes a veracidade dos fatos, ainda há um segundo problema: a maneira como um fato é contado.  Mas nós, leitores de diversas mídias, temos ferramentas para evitar a manipulação e a incorporação de certezas e valores que não são nossos. Então, ao ler um texto, independentemente da mídia em que ele seja divulgado, fique atento às palavras escolhidas, ao modo como a frase é construída, à presença de expressões que atribuam valor ao fato exposto, à ordem em que possíveis posicionamentos são inseridos no texto, às imagens, à omissão de fatos, à interpretação superficial, ao autor do texto, à fonte do texto, etc.

Nesse cenário, esta seção tem a intenção de ajudar o leitor a praticar sua criticidade. Sempre traremos textos referentes ao mesmo assunto de fontes diversas. Talvez você não reconheça todos os veículos de comunicação aqui publicados, pois também buscamos mostrar textos, que apesar de não estarem nos famosos jornais ou revistas, estão sendo lidos por um bocado de gente.

 

Curadoria de Livia Cucatto  

 

Bolsonaro ouve proposta, mas evita se comprometer com recriação do SNI

O candidato ao Planalto não ratificou nem rejeitou a proposta. Limitou-se a dizer que o País 'precisa' de um serviço mais 'eficiente' de inteligência para prevenir problemas para o governo

O candidato do PSL à Presidência, Jair Bolsonaro, ouviu nesta segunda-feira, 23, proposta de criar um sistema de inteligência "nos moldes" do Serviço Nacional de Informações (SNI), órgão do regime militar extinto em 1990, em encontro com militares da ativa e da reserva no Clube de Aeronáutica, no centro do Rio. (...)

https://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/politica/2018/07/24/interna_politica,696974/bolsonaro-ouve-proposta-mas-evita-se-comprometer-com-recriacao-do-sni.shtml

Bolsonaro ouve proposta, mas evita se comprometer com recriação do SNI

O candidato ao Planalto não ratificou nem rejeitou a proposta. Limitou-se a dizer que o País 'precisa' de um serviço mais 'eficiente' de inteligência para prevenir problemas para o governo

O candidato do PSL à Presidência, Jair Bolsonaro, ouviu nesta segunda-feira, 23, proposta de criar um sistema de inteligência "nos moldes" do Serviço Nacional de Informações (SNI), órgão do regime militar extinto em 1990, em encontro com militares da ativa e da reserva no Clube de Aeronáutica, no centro do Rio. (...)

https://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/politica/2018/07/24/interna_politica,696974/bolsonaro-ouve-proposta-mas-evita-se-comprometer-com-recriacao-do-sni.shtml

Bolsonaro ouve proposta, mas evita se comprometer com recriação do SNI

O candidato ao Planalto não ratificou nem rejeitou a proposta. Limitou-se a dizer que o País 'precisa' de um serviço mais 'eficiente' de inteligência para prevenir problemas para o governo

O candidato do PSL à Presidência, Jair Bolsonaro, ouviu nesta segunda-feira, 23, proposta de criar um sistema de inteligência "nos moldes" do Serviço Nacional de Informações (SNI), órgão do regime militar extinto em 1990, em encontro com militares da ativa e da reserva no Clube de Aeronáutica, no centro do Rio. (...)

https://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/politica/2018/07/24/interna_politica,696974/bolsonaro-ouve-proposta-mas-evita-se-comprometer-com-recriacao-do-sni.shtml

multi_2ed_2.jpg
Especialistas dizem que monitoramento de opositores pelo governo lembra prática da ditadura

Depois de o Ministério Público Federal (MPF) abrir uma investigação preliminar sobre o “fichamento” de 579 servidores públicos por um órgão do Ministério da Justiça (MJ), a pasta emitiu uma nota ontem defendendo o monitoramento de funcionários. Os documentos produzidos pelo ministério tiveram como alvo servidores que se identificaram como antifascistas em redes sociais ou assinaram manifestos públicos ligados à causa. O argumento usado pela Secretaria de Operações Integradas (Seopi) é que a medida tem a intenção de prevenir práticas ilegais por parte dos funcionários e garantir a segurança. (...) Leia mais em:

https://extra.globo.com/noticias/brasil/especialistas-dizem-que-monitoramento-de-opositores-pelo-governo-lembra-pratica-da-ditadura-24560014.html

Ação sigilosa do governo mira professores e policiais antifascistas

O Ministério da Justiça colocou em prática em junho uma ação sigilosa sobre um grupo de 579 servidores federais e estaduais de segurança identificados como integrantes do "movimento antifascismo" e três professores universitários, um dos quais ex-secretário nacional de direitos humanos e atual relator da ONU sobre direitos humanos na Síria, todos críticos do governo de Jair Bolsonaro (...). Leia mais em: https://noticias.uol.com.br/colunas/rubens-valente/2020/07/24/ministerio-justica-governo-bolsonaro-antifascistas.htm